Nossa Missão

 

 

 

Combater todas as formas de criminalidade violenta e, especialmente: 

 

TERRORISMO             

O terrorismo é uma das mais graves ameaças à paz e à segurança internacionais. Representa uma das maiores violações dos direitos humanos e liberdades fundamentais e tem efeito direto sobre o exercício de todos direitos humanos, especialmente o direito à vida, à liberdade e à segurança e à integridade pessoal.

Atos de terrorismo têm como objetivo central destabilizar governos, enfraquecer a sociedade civil, pôr em perigo os cidadãos e em causa os seus direitos, liberdades e garantias. Os efeitos sociais, morais e económicos que provocam afetam negativamente todos os cidadãos. 

 

 

TRÁFICO DE SERES HUMANOS             

 

O tráfico de pessoas é um crime grave e uma violação grosseira dos direitos humanos. Todos os anos milhares de homens, mulheres e crianças caiem nas “mãos” de traficantes, seja no seu próprio país, seja no estrangeiro.

Ocorre em todo o mundo e afeta praticamente todos os países, seja como país de origem, passagem ou destino. O Gabinete das Nações Unidas contra o Narcotráfico e Crime (UNODC), como guardião da Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional (UNTOC) e dos seus protocolos, auxiliando os Estados-Membros nos seus esforços para implementar o Protocolo estabelecido contra o Tráfico de Seres Humanos, cujo intento é a prevenção, supressão e punição do Crime de Tráfico de Pessoas.

 

 

 

NARCOTRÁFICO

 

O narcotráfico é um crime complexo que leva invariavelmente ao cometimento de diversos outros crimes, desde homicídio, ofensas à integridade, tráfico de armas, roubo, furtos, prostituição e lenocínio, tráfico de seres humanos e tem consequências graves para milhões de pessoas, de uma forma direta ou indireta, seja pelo consumo do produto e consequente dependência deste, pelo rápido declínio socioeconómico, perda de produtividade e eventualmente a morte. Assim, falar em causas e consequências das drogas implica considerar vários fatores, desde a sociedade, à família, passando pela religião, Profissão, Psicologia, Polícia e Política.

O tráfico de drogas e de armas tornou-se, graças à globalização e aos paraísos fiscais, num comércio apetecível pelos lucros fáceis daí resultantes. O lucro gerado pelo tráfico de drogas enfraquece as estruturas e os mecanismos inerentes às normas e à segurança de um país, isto acontece porque o crime organizado estimula a corrupção, a fim de garantir os interesses dos traficantes.

A globalização internacionalizou o tráfico de drogas e o tráfico de armas, pondo facilmente em contato todas as máfias e organizações criminosas no mundo, garantindo a impunidade de paraísos fiscais e facilidade na “lavagem de dinheiro”.

 

TRÁFICO DE ARMAS                  

O tráfico e o uso indevido de armas de fogo representam uma grande ameaça à segurança das pessoas e à estabilidade social, representando um sério obstáculo à consecução dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio das Nações Unidas. De acordo com um relatório da UNODC elaborado em 2011, nos países com alta taxa de homicídios, 1 em 50 jovens (homens) com idade inferior a vinte anos, corre o risco de ser assassinado com armas de fogo antes de completar 31 anos de idade.

Armas de fogo e munições são multiplicadores de força-chave para o crime organizado transnacional. Trata-se de um risco particularmente significativo nos países da América Latina, onde, em 2010, 74% dos assassinatos foram executados com recurso a uma arma de fogo, enquanto que a nível mundial, a percentagem é de 42%.

 

 

 CORRUPÇÃO

A corrupção é um fenómeno social, político e económico complexo que afeta todos os países. A corrupção mina as instituições democráticas, desacelera o desenvolvimento económico e contribui para a instabilidade governamental. A corrupção ataca as bases fundacionais das instituições democráticas, pervertendo o Estado de direito e criando pântanos burocráticos, cuja única razão de existência é a presença de subornos.

O desenvolvimento económico desacelera devido aos "custos iniciais" imprescindíveis nomeadamente os gastos com a prática da corrupção, o que desencoraja o investimento estrangeiro direto.

A missão da CIIC é recolher informações, procurar todas as fontes de informação existentes e de uma forma consistente com a legislação disponível, analisar, avaliar e, de acordo com o observado, proporcionar técnicas e conhecimentos a fim de obter a identidade e formas de operar dos indivíduos referenciados, bem como de organizações criminosas em geral para posteriormente, informar os ministérios ou organismos governamentais competentes.

.

 

 
 
 
 
 
 
 

Idioma